Lenovo Edge 71, um Desktop surpreendente desde o preço

No Comments

Minha experiência com um Desktop Lenovo Edge 71 revela o quanto eu uso a tecla Delete, e não sabia…

Lenovo Edge 71 1577K4P: Mais CPU pelo seu tutu

Não se engane: o Desktop ainda reina no corporativo

Há quem diga que o Desktop irá morrer. Disseram isso do rádio, também. E os Netbooks, que disseram que iam dominar o mercado? Assim que os usuários descobriram a performance meia-boca dos mesmos, os abandonaram. Hoje, Netbook é ponta de estoque (mas vai ter um revival interessante da Samsung daqui a pouco, vamos falar sobre isso em breve).

São 2 exemplos que demonstram que o mercado não é tão imprevisível quanto possa parecer. Desde que a TI começou a ser utilizada por empresas para avançar seus negócios, 3 princípios fundamentais de uma boa compra sempre foram (nesta ordem): preço, performance e segurança. E neste ponto, os Desktops são imbatíveis (não confundir com “estações de trabalho”, como já explicamos).

Ainda que os Desktops sejam “menos verdes” que os notebooks, o fato é que o custo de aquisição dos mesmos tem um benefício largamente superior ao de um notebook, para uma empresa. Afinal de contas, pelo mesmo valor que se investiria em um notebook de valor X, ainda se consegue um Desktop de configuração muito superior. Isso significa que é possível investir menos, para ter “mais máquina”. Em um ou dois computadores, isso pode não fazer muita diferença, e a conveniência de uma estação móvel ganhar em alguns aspectos. Mas considere parques de pequenas e médias empresas, com 5 ou 500 funcionários, que na prática, ficam de frente para o computador o dia inteiro. Nesta soma, o Desktop ainda ganha de lavada. E com as novas tecnologias verdes implementadas por eles, a diferença de custo a longo prazo para o notebook também está ficando menor.

Desktop Lenovo Edge 71: feito para o corporativo

Antes de continuar: a MicroSafe é uma Revenda HP e Lenovo. Leia o texto a seguir com a devida critica.

Recentemente elogiamos, no Facebook, o atendimento da HP em um de nossos computadores. Mas no meio tempo em que a estação ficou parada, pegamos um Lenovo Edge 71 do estoque para colocar em funcionamento (todo o nosso parque é HP). Em resumo: estou com o bichinho em casa agora, como a minha máquina pessoal.

O modelo escolhido foi o Desktop Lenovo ThinkCentre Edge 71 Core i5 2400 (3.10GHz) 4GB 500GB DVD-RW Windows 7 Professional 64 (1577-K4P). E seguindo nosso próprio conselho, já encomendei uma memória adicional de 4GB para ele.

Preço

Repararam na configuração? É um Core i5 de Segunda Geração. Com Windows 7 Professional de 64 bits já instalado. 4GB de memória, 500GB de HD. E esse cara custa menos de R$ 1.499! É a primeira coisa que surpreende neste modelo, que achei o de melhor custo/benefício entre todos os Lenovo Edge 71 (existem modelos de Pentium Dual Core a Core i7 de segunda geração, variando entre Torre e SFF).

Performance

Tendo um processador de 4 núcleos de segunda geração, e 4GB de memória, tem pouca coisa que esse monstrinho não devore. Faltou apenas uma placa de vídeo melhor para também recomendá-lo para aplicações gráficas mais pesadas. Em compensação, ele já vem com 2 saídas de vídeo, 1 VGA e 1 DVI, pronto para rodar com 2 monitores em paralelo (que é a configuração que já uso há anos — e uma vez que você adote este espaço de trabalho, não volta mais atrás, porque é bom demais).

Placa de vídeo dual, nativa, é um argumento de venda muito importante, pois desde a época do lendário HP d325 que a HP adota saída de vídeo dual em seus Desktops corporativos, e foi uma das razões para que eu e muitos clientes desse preferência à HP em sua decisão de compra. Com este passo, a Lenovo se aproxima de seu principal concorrente.

Instalei o Office 2010 64 bits nele. Já falamos das  tremendas vantagens de adotar computação de 64 bits antes. Basta dizer que uma planilha Excel de 70.000 linhas que levava quase 3 minutos para calcular, agora leva apenas 30 segundos (Fiz questão de testá-la em 32 e 64 bits).

Segurança

Sendo um computador voltado para o meio corporativo, o Lenovo Edge 71 possui várias características de segurança nativas (em seu próprio pacote de ferramentas) assim como suporte a protocolos padrão de indústria (TPM, etc…) para se integrar a servidores de gerenciamento de inventário e aplicativos (Altiris, System Center, Intune, etc…)

Cocnlusão

O Desktop Lenovo Edge 71 é um computador robusto, como tudo que a Lenovo faz. Não prima pela beleza (embora este modelo tenha um design glossy em sua fachada, mas bem mais discreto do que os anúncios dizem), nem precisa. Fisicamente, dois detalhes chamam a atenção nele: a já famosa alça de transporte da Lenovo, integrada ao gabinete (aliás, como é leve este Desktop!) e, no teclado, tipo membrana, uma tecla Delete do mesmo tamanho do Enter, que estranhei e não gostei a princípio, porque ela muda a disposição clássica do conjunto Home/End/PgUp/Etc… Mas agora, com o uso, estou simplesmente adorando. Quem escreve muito, apaga muito. E assim o DEL se junta ao Backspace no meu teclado, como uma das teclas que mais apanham Gostei.

Uma coisa que não gostei é que no site da Lenovo é dito que este computador vem com leitor de cartões 4 em 1 de maneira genérica. Bem, no nosso não veio (ou eu sou cego, e não achei, o que não deve ser descartado como hipótese viável). Talvez ele venha apenas nos modelos SFF. Vamos conferir com a Lenovo.

Reforçando novamente que este review é apenas sobre o modelo Edge 71 Core i5 2400 (1577-K4P) e pode haver diferenças (como a acima) para outros modelos. Se quiser verificar os detalhes técnicos, PDF, fotos ampliadas, etc, deste modelo em detalhes, basta acessar o site da MicroSafe.