Microsoft bate recorde em receita e silencia críticos

No Comments

Empresa fecha ano fiscal de 2011 com receita de quase US$ 70 bilhões, melhor receita de toda a sua história; recordes alcançados na venda de Office, XBOX 360 e Softwares para Servidores

Editorial da MicroSafe

Nunca foi tão criticada, e nunca faturou tanto!

Você certamente já deve ter lido esta notícia em outros Blogs. Este post não é sobre ela, exatamente, mas sobre a nossa opinião a respeito da Microsoft. Para um excelente artigo sobre o fechamento acima, leia a matéria do IDG Now! (inclusive, a frase do “cala boca” não é nossa, mas da IDG).

Você talvez pense que, por sermos Revenda Microsoft, é lógico que temos que falar bem da empresa. Não é bem assim. Para começar, eu fui o primeiro OS/2 Ambassador do Brasil, ou seja, um evangelista do Sistema Operacional da IBM que foi o primeiro grande concorrente do Windows. Não era exatamente um fã do Windows ou da Microsoft, portanto.

Mas… o tempo vai, o tempo vem, e a experiência tem que aumentar.

Em primeiro lugar, aprendi a reconhecer a importância da Microsoft para o desenvolvimento e crescimento da tecnologia pessoal e do mercado em si.

Por exemplo, muita gente reclama do preço do Office hoje (cuja versão Home and Business pode ser comprada por menos de R$ 400 atualmente), sem se lembrar que antes da Microsoft ter aglutinado 3 aplicativos em um só pacote (Eram apenas Word, Excel e Access naquela época), os concorrentes da época, Lotus 1-2-3, WordStar e dBASE custavam o DOBRO do pacote da MS, CADA! Ironicamente, foi a MS a primeira empresa a quebrar o paradigma dos preços altos em software.

Em segundo lugar, muitos também criticam que o gene da inovação se perdeu na empresa. Mas, como várias revistas e artigos de negócios podem lhe dizer, inovação não é necessariamente “fazer primeiro”, mas “fazer de uma forma que ninguém fez melhor antes”. Se a Xerox inventou a interface gráfica, se a Apple foi a primeira a comercializá-la em massa, tudo empalidece perante o fato de que foi a Microsoft que de fato, emplacou a GUI — e não da primeira vez — com o Windows 3.0, o primeiro grande sucesso da empresa nesta área, cujos sucessores até hoje dominam o mercado.

Da mesma forma que a Apple não foi a primeira a inventar a interface de toque, mas foi a primeira a fazê-lo de uma forma sensacional, foi no meio da vida destas tecnologias que estas respectivas empresas tiveram seus maiores sucessos, exatamente por perseverar naquilo que acreditavam. Isso é inovação. Ao ler a notícia acima, por exemplo, você vai descobrir que um dos maiores crescimentos da Microsoft foi — quem diria! — na divisão de entretenimento. Ou seja, o XBOX, que já foi considerado o patinho feio deste mercado, apostou na comunidade online, quando ninguém falava em “nuvem” ainda, e hoje a XBOX Live é a líder inconteste nesta área. Aliás, os negócios da pequena mole em cloud são gigantescos, e provavelmente, a maior parte das pessoas sequer sabe disso.

Em terceiro lugar, ao trabalhar com a Microsoft, pude comprovar na prática porque ela é frequentemente apontada como uma das empresas mais éticas do mercado — e isso, mundialmente falando. Em 10 anos que trabalhamos com a Microsoft, não consigo me lembrar de um único episódio em que tenha me sentido tratado com menos respeito do que deveria. E acredite, neste mercado, isso é bastante importante.

Eu poderia me alongar bastante neste post, mas creio que o ponto principal dele já foi melhor pronunciado por Mark Twain há muito tempo, e serve como um perfeito encerramento: “As notícias sobre minha morte foram bastante exageradas”.

Finalmente, uma pequena curiosidade: O logo da MicroSafe e o da Microsoft possuem o mesmo número de letras, diferem apenas em duas, e nós mesmos só fomos perceber isso com quase 4 anos de empresa… Foi pura coincidência, embora quase ninguém acredite nisso. 🙂