Microsoft SQL Server 2008 com SSD = 50% mais performance

No Comments

Aumento de performance do Microsoft SQL Server 2008 pode chegar a 50% (!), segundo estudo da Kingston

Things that make you go Vruuuum! (Clique para ampliar)

Escalabilidade do SSD permite o Microsoft SQL Server 2008 atender 15.000 usuários com praticamente a mesma performance de 1.000 (!!)

Uma das tecnologias mais usadas pela MicroSafe é exatamente o Microsoft SQL Server 2008, o gerenciador de banco de dados SQL da Microsoft, que virou sinônimo de SQL em si no mercado (vários clientes nos pedem cotação “do SQL”, e logo em seguida verificamos que falam do Microsoft SQL Server 2008. É quase como pedir cotação de “Gillette”, que já virou sinônimo de qualquer lâmina de barbear, embora seja apenas uma marca deste tipo de produto).

Ele é responsável não só pelo processamento do front-end de nosso site de vendas corporativas (ou seja, a parte que os clientes vêem), como também pelo ERP desenvolvido in-house que nos permite, desde 2003 (e em constante desenvolvimento) gerenciar as mais de 120.000 transações ocorridas no site, por mês. As duas partes são 100% integradas e rodam sob a mesma base, o que nos garante uma agilidade de  reprodução de novidades já lendária no mercado (Na área corporativa, se é produto novo, lançamento, informação técnica, referência cruzada de produtos com seus opcionais, substitutos, suprimentos, acessórios, entre outros: aparece na MicroSafe  primeiro. Pode apostar). Portanto, estamos sempre estudando sobre o assunto, pois não apenas comercializamos a ferramenta, como a usamos no dia-a-dia.

Qual não foi minha surpresa então, ao vasculhar meus alfarrábios de documentações técnicas, em encontrar um estudo de Abril de 2011, da Kingston, falando do uso de Unidades de Disco Rígido SSD (que já explicamos antes) com o Microsoft SQL Server 2008, exatamente neste momento em que o mercado Brasileiro começa a sentir (ainda que timidamente) os efeitos da crise mundial de abastecimento de discos rígidos comuns (sobre a qual também já falamos).

Não sei como deixei passar esta preciosidade: o estudo é um soco no estômago! Já sabíamos e havíamos comentado no post sobre SSD’s que a performance destas unidades em muito supera a de unidades normais. O que não sabíamos era a diferença que elas poderiam impactar na escalabilidade de carga, ou seja: com o constante crescimento de requisições de usuários em cima do mesmo hardware, a capacidade de manter a mesma performance. O estudo mostra que, dada uma base de testes com as mesmas condições, enquanto o uso de unidades SAS se torna simplesmente inviável a partir de 15.000 usuários do Microsoft SQL Server 2008, em cima de unidades SSD, o tempo de resposta se mantém praticamente constante (!!!).

Um pequeno excerto da página de resultados do estudo:

Esta tabela relaciona o tempo de resposta de 0 a 15.000 usuários em 500 ciclos de teste. Quando o teste atingiu 10.000 usuários, o tempo de resposta dos 48 discos do conjunto SAS passa a atingir níveis inaceitáveis.

É interessante observar que a configuração interna básica de 4 unidades SSD equivale ao conjunto de 48 unidades SAS até que a infraestrutura de 4 unidades encontra uma sobrecarga no nível de 10.500 usuários.

Com pouco menos do que 10.500 usuários, essa configuração resultaria em um sistema mais rápido, com uma infraestrutura consideravelmente menor.

A infraestrutura de 8 unidades SSD continua a escalonar com tempos de resposta aceitáveis até os 15.000 usuários, enquanto uma configuração SAS similar à da configuração de 4 unidades SSD aumenta bruscamente para valores de tempo de resposta.

Para uma visão mais detalhada, esta tabela mostra o tempo de resposta com uma carga de usuários que vai de 0 a 8.000. Mesmo quando a performance para o usuário final seja considerada “aceitável”, as opções com unidades de estado sólido apresentam um desempenho médio de 50% mais rápido em todas as cargas de usuários.

Este dilema de planejamento de carga apavora praticamente todo CIO, ao dimensionar uma solução de hardware. Se você algum dia se perguntou “Eu preciso de um servidor XPTO que atenda N usuários do Microsoft SQL Server 2008”, pode entender melhor como  seria bom um fornecedor lhe dizer: “esta solução lhe atenderá agora, e lhe atenderá por mais Y mil usuários”.

Uma das reclamações ainda presentes – e com razão – sobre unidades SSD é seu preço. Entretanto, ao ler o estudo, vemos que a Kingston, astutamente, monta um cenário factível em que 48 unidades SAS podem ser substituídas por apenas 8 unidades SSD, o que elimina completamente qualquer impacto de custo que poderia haver. Não que exista argumento: com um aumento de performance de 50% e escalabilidade de 1.000 a 15.000 usuários garantido, preço deve ser sua última consideração na seleção de uma solução de alta performance.

Caso queira ler o estudo completo — o que recomendamos –, você pode baixá-lo em PDF do site da MicroSafe. E para uma solução completa que engloba servidor, armazenamento tradicional e SSD’s, pode ler novamente nosso post sobre as storages HP P8000 G2, que combina todas as tecnologias mencionadas neste post, e ainda adiciona virtualização em cima.