O BlackBerry falhou. Longa vida ao… Windows 8?

2 Comments

A queda do BlackBerry

A essa altura do campeonato, você provavelmente já deve ter ouvido falar que os serviços do BlackBerry da RIM ficaram interrompidos em grande parte do mundo (incluindo os EUA) por 3 dias seguidos. Caso queira se informar mais a respeito, colocamos a cobertura do evento em tempo real em nossa página do Facebook, inclusive as piadas que rolaram a respeito. De fato, as reações de executivos irritados com as interrupções de serviço indicam o que muitos já vinham achando: que esse foi o último prego que faltava no caixão da RIM.

Durante o acontecido, a Microsoft não perdeu tempo em promover o Windows Phone de uma maneira ineditamente ousada para a pequena mole:

MicroSafe Windows Phone

"Fala que eu te escuto, irmão!"

 

O Tweet acima foi enviado por @BenThePCGuy e iria dar até 25 Windows Phone para usuários de BlackBerry que contassem a melhor história de frustração com os serviços da RIM. A promoção também valia para quem tinha iPhone com histórias de horror.

E pra finalizar, de todas as ocasiões que a rede da RIM tinha pra falhar, o pessoal de lá escolheu justamente a semana de lançamento do iPhone 4S.  Ay, ay, ay…

A ascensão do Windows Tablet:

Em notícia relacionada, uma recente pesquisa do Boston Consulting Group, publicada aqui no Brasil em ótimo artigo do Guia do PC, mostrou que dado poder de escolha, usuários prefeririam utilizar o Windows em seus Tablets:

 

MicroSafe Tablets Windows x iOS x Android

Quem diria, hein?

 

Mais uma vez, note os números do BlackBerry. Mas o que surpreende mesmo é que 42% dos estadunidenses prefeririam ter um Tablet com Windows, e 44% dos Chineses também, o que basicamente soma 2 dos maiores mercados do mundo em tecnologia.

Nunca a Microsoft esteve em tão boa posição para conquistar todo o mercado móvel

José Modena é um de nossos amigos e colaboradores mais freqüentes aqui no Blog. Mora nos EUA e trabalha em uma gigante corporativa que qualquer um que assiste a sitcom 30 Rock conhece muito bem. 🙂 Portanto, conhece bastante – e por dentro — o que o corporate US anseia e precisa. O crédito de toda a parte deste post, daqui pra frente, é dele: estávamos discutindo este exato assunto semanas atrás, e achei a visão dele tão coerente e lógica, que literalmente pedi para ele postar ou para eu poder escrevê-la, creditando-o. Ganhou a segunda opção. Então vamos lá:

É fato que a Microsoft tem uma liderança absoluta no mercado corporativo. Mas também é fato que as tentativas da MS de atacar o mercado de mobilidade tem sido, no mínimo, sofríveis, para sermos condescendentes. Até agora.

Uma coisa temos que entender sobre o mercado corporativo: ele é cauteloso, desconfiado e gosta de padrões consolidados e estabelecidos. Com raras exceções, TI é meio para um fim, e não o contrário.

E este mesmo mercado móvel corporativo hoje vive basicamente de BlackBerry e iPhone / iPad, com uma cornucópia de Androids para escolher. Mas tem todos os seus servidores e estações rodando algum tipo de software Microsoft. O que evidentemente causa todo tipo de quebra de sinergia entre as plataformas. Não é a toa que todo SmartPhone, para ser considerado “sério”, precisa ter algum tipo de conector com o Microsoft Exchange.

Como o Modena costuma dizer, a Microsoft agora tem uma oportunidade única de oferecer uma plataforma convergente com o Windows 8 sendo o sistema operacional de borda em uma variedade de dispositivos: desde a estação, até o Tablet, passando pelo SmartPhone. Pela primeira vez na história da TI, teremos um único fornecedor de inteligência em tecnologia de ponta a ponta, que pode (se for esperto) proporcionar uma experiência de convergência e sinergia digital completa. Não é preciso dizer que isso resolve milhares de problemas de compliance, segurança unificada, homologação de aplicativos, reduz custos de treinamento através de múltiplas camadas de usuários, enfim… é o nirvana para o mundo corporativo. E por mais que critiquemos a Microsoft, sabemos que ela tem capacidade de fazer isso. E mais ainda, desta vez, ela realmente parece estar indo no caminho certo, se tudo que temos ouvido sobre o Windows 8 realmente se concretizar.

A Apple já está indo pelo mesmo caminho e muito mais adiantada neste sentido (O lançamento do iOS 5 e do iCloud deixa isso ainda mais evidente). Mas a maçã, por enquanto, ainda tem uma penetração pequena no mercado corporativo.

Portanto, Microsoft,como gostamos de futurologia, aqui estão as previsões da MicroSafe sobre este assunto (nossos leitores podem ficar à vontade para discordar ou concordar):

  1. Estamos vivendo os últimos dias do BlackBerry. Vai continuar perdendo mercado de maneira rápida e avassaladora justamente porque daqui pra frente, o mundo é Android, iOS 5 ou Windows Phone. E o BB não é nada disso. A única chance da RIM é realmente adotar o Android (como já anunciou que faria), mas em larga escala, e mesmo assim, depois da falha da rede, ainda tem um longo caminho em reconquistar a confiança de seus próprios usuários, quanto mais, conseguir novos. Eu definitivamente não apostaria meu negócio na RIM;
  2. A batalha pelo usuário doméstico provavelmente continuará entre iOS 5 e Android, sendo que este último ainda pode apresentar novidades surpreendentes. O que prejudica o Android é o mesmo eterno problema do Linux: Não há consistência alguma a ser mantida entre versões, modelos, características ou até mesmo funcionamento de celulares  que usam Android. Neste ponto, o iPhone leva uma vantagem considerável;
  3. Já a batalha pelo usuário corporativo, realmente, só depende da Microsoft conseguir entregar Tablets e Windows Phones rápidos, com preço justo e, principalmente, em sinergia com toda a família Windows, sendo que os dispositivos de borda precisam estar fortemente calcados em segurança para que as empresas sintam-se confiantes em utilizá-los (mas pelamor de Deus, UAC do VISTA, NÃO!!!). Como o Modena também costuma dizer, a maior ameaça à segurança das empresas não são mais os tradicionais virii de computador, mas sim, invasões para roubos de dados, muitas vezes, patrocinadas por empresas concorrentes ou até mesmo, países inimigos!

Acompanhe este Blog, caro leitor, e vamos ver se acertamos mais uma vez. Quem viver, verá!

Modena, muito obrigado por nos permitir usar suas considerações no post. Você é o cara!