Sigla-nos! O que é SFF?

8 Comments

“Sigla-nos!” é uma nova série aqui no Blog. Pelo menos uma vez por semana, vamos explicar uma sigla, acrônimo ou legenda do mundo corporativo.

Mas não apenas colocá-la por extenso (o que entediaria quem já conhece a sigla), mas também tecer considerações e informações que serão úteis a você, nosso leitor, inclusive em suas decisões de compra. Se você tem uma sigla do mercado de TI que sempre lhe causou dúvida, mande pra gente. Sua sugestão vira post do Blog! Para começar, vamos ver o que significa SFF na prática.

O que é SFF?


SFF é a sigla de Small Form Factor.  Não tem boas traduções em português, porque não explica nada (daí a necessidade desta série): Fator de pequena forma, Formato de fabricação pequeno, etc…

SFF, no mundo da TI Corporativa, é usado para designar um gabinete pequeno de computador, 99% das vezes desenhado para ser usado apenas na posição horizontal. Exemplo:

Exemplo de um Gabinete SFF, do modelo HP Elite 8000

Exemplo de um Gabinete SFF, do modelo HP Elite 8000

LE586LA – HP Elite 8000 SFF

Mas não termina aí. Agora vem a parte prática que esta série promete: Gabinetes SFF são menores, portanto, a tecnologia envolvida para acondicionar peças em um computador com este formato também precisa ser reduzida. E mais importante: A refrigeração interna precisa ser mais eficiente do que seria em um gabinete torre.

Isso, portanto, nos leva a uma conclusão interessante: Podemos, em primeira instância, inferir que computadores com gabinete SFF possuem melhor acabamento e tecnologia. E a prática do mercado comprova que isso é verdade: Você geralmente irá encontrar somente fabricantes de primeira linha ofertando seus produtos no formato SFF.

Mas qual seria a vantagem de adotar soluções de computação em gabinetes SFF? A principal é a otimização do espaço, mas, coincidentemente ou não, como este é um fator que é importantíssimo para empresas, acabou acontecendo algo interessante: É mais fácil encontrar soluções de gerenciamento avançadas em computadores SFF do que nos modelos torre, geralmente considerados de entrada. Esta não é uma regra específica, apenas uma tendência que o próprio mercado criou.

Este foi um primeiro post para exemplificar a série. Opine, critique, curta, compartilhe. E sigla-nos, para não perder a próxima!